Pesquisa e Inovação | Laboratórios Compartilhados

Rede de Laboratórios Compartilhados da Bahiana
 
Ao compreender que o desenvolvimento, a tecnologia e a inovação fazem parte de um sistema conjunto, que deve funcionar de forma articulada para que possa permitir a geração de conhecimento, sua transformação em solução e utilização dessas soluções para ganhos sociais, a Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública, no ano de 2017, institui a sua própria rede de laboratórios compartilhados.
Esse modelo de pesquisa e desenvolvimento acompanha as políticas nacionais que versam sobre desenvolvimento sustentável, otimização de recursos, acessibilidade às tecnologias e melhor gerenciamento dos processos. Ademais, permite o compartilhamento de informação, conhecimento e desenvolvimento de REDES de trabalho científico, a fim de proporcionar a interação entre as diversas áreas do conhecimento estimulando a produção científica e o desenvolvimento tecnológico, tornando a instituição mais competitiva, contribuindo, ainda mais, para o desenvolvimento regional.
Para acessar os equipamentos pertencentes à rede, o interessado deverá entrar em contato com o coordenador do laboratório e seguir os trâmites internos administrativos e de biossegurança.

1.Centro de HTLV (Falta incluir texto sobre o HTLV – enviei e mail a Cláudio Paulo solicitando)
Coordenador: Prof. Dr. Bernardo Galvão de Castro Filho
 
 
Equipamentos Disponíveis
Fluxo Laminar
Capela Fluxo Laminar
Microcentrífuga – Eppendorf
Microcentrífuga – Eppendorf microtobos
Leitor de Elisa
Lavadora de placa
Centrífuga de tubo
Microscópio U.V. Nikon
Estufa de cultura (37° C)
Agitador Vortex
Freezeres – 70
Freezeres – 80
Freezeres – 20
Geladeira
 
 
 
2.Laboratório Multidisciplinar de Pesquisa em Biomateriais Odontológicos / Biobanco de Dentes
Coordenadora: Prof.ª Dra. Andréa Araújo de Nóbrega Cavalcanti
 
O laboratório experimental, inaugurado em 2013, é utilizado para atividades de pesquisa em áreas do conhecimento relacionadas à saúde, por pesquisadores da EBMSP e por colaboradores de outras instituições de ensino e pesquisa. Seu uso atende principalmente às pesquisas das linhas de Odontologia Clínica e Implantodontia do PPgO. As pesquisas realizadas nesse espaço têm como objetivo a investigação de propriedades, indicações e técnicas de utilização de biomaterias odontológicos. Os trabalhos focam na construção de evidências científicas com ênfase em desenvolvimento, inovação, avaliação de critérios para sucessos e falhas dos biomateriais. Em espaço anexo, encontra-se em funcionamento o Biobanco de Dentes da Bahiana, cuja presença viabiliza a condução de trabalhos dentro de princípios éticos na pesquisa em saúde. O ambiente é dotado de materiais e equipamentos para desenvolvimento de experimentos na área de biomateriais.
 
Equipamentos Disponíveis
Rugosimetro (Mitutoyo):
Microdurômetro (Shimadzu)
Aparelho para medição de permeabilidade
Máquina para simulação de escovação
Politriz
Cortadeira metalográfica
Estufa bacteriológica
Dessecador
Geladeira
Freezer
Cuba ultrassônica
Equipo de bancada
 
 
 
3.Núcleo de Pesquisa e Inovação
Coordenadora: Prof.ª Dra. Alene Vanessa Azevedo dos Santos
 
O Núcleo de Pesquisa e Inovação (NUPI) foi criado em 2016 com a finalidade de oferecer um espaço laboratorial compartilhado, com corpo técnico próprio para o desenvolvimento de pesquisas básicas e aplicadas no âmbito da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. O núcleo apoia as atividades de pesquisa da EBMSP, vinculadas aos Programas de Iniciação Científica, Programas de Pós-Graduação stricto sensu, bem como de instituições conveniadas. O NUPI disponibiliza o espaço físico e os equipamentos em caráter multiusuário, assim como o técnico-especialista, para manuseio e apoio das atividades de pesquisa da EBMSP; atende a comunidade externa, pública e privada, por meio do modelo de prestação de serviço, visando contribuir para o desenvolvimento tecnológico regional; otimiza os recursos financeiros, físicos e humanos para a pesquisa científica; desenvolve estratégias de agregação de tecnologias voltadas para o uso compartilhado de equipamentos avançados e de alto custo; fomenta a implantação de projetos interdisciplinares em pesquisa básica e aplicada; capacita e forma recursos humanos por meio de cursos de longa, média e curta duração.
 
Equipamentos disponíveis
Agitador de tubos vortex
Agitador magnético com aquecimento
Aspirador compressor cirúrgico
Autoclave
Balança analítica
Balança
Banho de incubação
Bomba a Vácuo
Cabine de segurança biológica Classe II A1
Centrífuga
Cilindro de CO2
Espectrofotômetro
Estufa para esterilização e secagem
Estufa para cultura bacteriológica
Evaporador de tubos vortex
Fluxo laminar vertical
Forno mufla
Freezer
Geladeira
Incubadora de CO2
Lavadora ultrassônica
Lavadoras de microplacas
Leitor de microplacas
Lupa
Mesa agitadora orbital
Microarray reader
Microcentrífuga
Micro-ondas
Microscópio óptico
Microscópio óptico invertido
Monitor de O2
Phmetro de bancada
Real – Time PCR system
Reservatório para N2 líquido
Stepone RT PCR system
Termociclador
Transluminador UV
 
 
 
4.Laboratório da Anatomia Patológica (Enviei este texto para validação de Sílvia, aguardando retorno)
Coordenadora: Prof.ª Dra. Sílvia Regina Reis
 
Esse laboratório atua, principalmente, como uma proposta extensionista, visando a análise e emissão de laudos histopatológicos de lesões benignas e malignas do complexo estomatognático. Ademais, estuda os fatores moduladores dos processos de inflamação e reparo dos tecidos bucais e o entendimento do comportamento biológico, diagnóstico e tratamento das enfermidades do complexo estomatognático.
 
 
Equipamentos Disponíveis
Autoinclusor de Parafina
Balança de Precisão
Capela
Dispensador de Parafina
Estufa
Histotécnico
Microtômo
Placa Aquecedora
 
 
 
Instituições Parceiras
 
A Política Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde estimula a cooperação na pesquisa científica entre as instituições que compõem o sistema de CT&I: Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), o governo e o setor produtivo. Ademais, reconhece a importância da disponibilização de equipamentos de alto valor agregado e, consequentemente, alto custo de aquisição e manutenção para atenderem um amplo número de pessoas, aumentando a viabilidade dos processos e desenvolvimento tecnológico das regiões.
Nesse contexto, surge o modelo de plataformas tecnológicas que promovem a utilização em larga escala, em diferentes áreas de pesquisa e disciplinas, de equipamentos de grandes porte e multiusuários associados à pesquisa científica colaborativa e à cooperação técnica entre diferentes setores econômicos. As plataformas atuam na aquisição, na manutenção e na coordenação da utilização da infraestrutura da pesquisa experimental, sobretudo desses equipamentos, por equipes de pesquisa inter ou multi-institucional (CHOMPALOV, 1999). O objetivo da criação das plataformas é identificar gargalos tecnológicos e, a partir deles, estimular a formulação de projetos cooperativos para o desenvolvimento de produtos e processos.
 
Diante disso, pactuando com as políticas públicas e vislumbrando a importância de desenvolver ciência e tecnologia com alto padrão tecnológico associado, a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, através da pró-reitoria de pesquisa e inovação firmou parceria com dois grandes centros tecnológicos, disponibilizando, assim, acesso a equipamentos de grande porte, alto valor econômico agregado, no modelo multiusuário, com equipe técnica especializada.
 
 
Plataformas Tecnológicas da Fiocruz
 
A Fiocruz Bahia possui uma estrutura de plataformas tecnológicas e subunidades de apoio científico dotadas de equipamentos sofisticados de suma importância para as áreas de saúde e correlatas. Visando contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico nacionais, a unidade disponibiliza o seu uso por instituições acadêmicas ou não, públicas ou privadas que necessitem de análises e processamentos específicos que só seriam factíveis por meio da tecnologia agregada a esses aparelhos.
 
Considerando que essas plataformas e subunidades são mantidas com recursos da Fiocruz, englobando gastos com pessoal e insumos, bem como investimentos em equipamentos, despesas condominiais e aqueles referentes à contratação de serviços de manutenção especializada, a sua utilização por outras instituições requer o ressarcimento de gastos pela utilização desses serviços por parceiros externos.
 
Os recursos referentes aos custos dos serviços prestados são destinados à aquisição de insumos, manutenção preventiva e corretiva, assim como atualização técnica do parque de equipamentos e softwares alocados nas plataformas.
 
O primeiro passo para acessar as Plataformas Tecnológicas da Fiocruz é a conversa entre o responsável técnico das plataformas e o interessado, de forma a dirimir dúvidas.
 
Para contato:
 
  1. Microscopia Eletrônica
    Telefone: +55 (71) 3176-2304
    E mail: microscopia@bahia.fiocruz.br
     
  2. Plataforma de PCR em Tempo Real
    Telefone: +55 (71) 3176-2441
    E mail: pcr@bahia.fiocruz.br
     
  3. Plataforma de Sequenciamento de DNA
    Telefone: +55 (71) 3176-2441
    E mail: sequenciamento@bahia.fiocruz.br
     
  4. Plataforma Citométrica de Fluxo
    Telefone: +55(71)3176-2303
    E mail: citometria@bahia.fiocruz.br
     
  5. Plataforma de Bioinformática
    Telefone: +55 (71) 3176-2354
    E mail: bioinformatica@bahia.fiocruz.br
     
  6. Serviço de Histotecnologia
    Telefone: +55 (71) 3176-2332/309
    E mail: histotecnologia@bahia.fiocruz.br
     
  7. Biotério
    Telefone: +55 (71) 3176-2238
    E mail: bioterio@bahia.fiocruz.br
 
Rede de Laboratórios Compartilhados da SECTI
 
A Rede de Laboratórios Compartilhados é uma iniciativa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (SECTI), que tem a finalidade de aumentar o uso dos equipamentos científicos e de pesquisa, instalados no território baiano. Além de aumentar a utilização desses aparelhos, o projeto também gera os seguintes benefícios:
 
- Promove a cooperação entre empresas e institutos de pesquisa, por meio da divulgação do conjunto de equipamentos já existentes e suas competências operacionais;
- Proporciona a aproximação entre antigos e novos grupos de pesquisa, que podem propor novas linhas de investigação científicas conjuntas e outras formas de colaboração;
- Diminui a chance de compra duplicada de equipamentos, pois os grupos de pesquisa, sabendo da capacidade já instalada no estado, podem usar os dispositivos já existentes ao invés de comprar novos.
 
Para informações sobre acesso e lista de equipamentos disponíveis, acesse:
http://labcompartilhados.secti.ba.gov.br/
 


Voltar

Unidade Acadêmica Brotas

Av. Dom João VI, nº 275, Brotas.
CEP: 40290-000
tel.: (71) 3276 8200
fax.: (71) 3276 8202

Unidade Acadêmica Cabula

Rua Silveira Martins, nº 3386, Cabula
CEP: 41150-100
tel.: (71) 3257 8200
fax.: (71) 3257 8230

Coordenadoria Geral

Av. Dom João VI, nº 274, Brotas.
CEP: 40285-001
tel.: (71) 2101 1900
fax.: (71) 3356 1936