Galeria de Fotos

XIV Fórum Pedagógico (Sábado)
Refletir "Novas Ideias para um Mundo Melhor" foi o norte do XIV Fórum Pedagógico da Bahiana, que aconteceu nos dias 10 e 11 de agosto, no Campus Cabula, e reuniu o corpo docente e palestrantes convidados. O evento também marcou os 40 anos de trabalho da reitora Maria Luisa Carvalho Soliani dentro da instituição. Estiveram presentes e participando das atividades os professores e coordenadores dos cursos de graduação e pós-graduação, além das pró-reitoras de Ensino de Graduação e Pós-Graduação, prof.ª Maria de Lourdes Freitas Gomes, e de Extensão, prof.ª Carolina Pedroza. Também esteve presente a coordenadora de Desenvolvimento de Pessoas, prof.ª Luiza Ribeiro, que conduziu toda a programação em conjunto com a professora do curso de Odontologia Sandra Brasil, também coordenadora do Programa Institucional de Desenvolvimento Docente (PROIDD), núcleo responsável pela realização do fórum.

Segundo Sandra Brasil, o principal objetivo desse evento foi trabalhar a relação professor-aluno na contemporaneidade, buscando melhor compreensão sobre essa relação, que requer um profundo entendimento do papel do professor, “Visamos expandir a compreensão sobre a educação em saúde baseada em evidências, que permite preparar melhor o aluno para lidar com o “mar” de informações disponíveis, que precisam ser transformadas em conhecimento, a partir de uma capacidade de análise crítico-reflexiva muito bem construída”.

As atividades foram abertas com a palestra dialogada "Educação em saúde baseada em evidências", proferida pela palestrante convidada, a professora com PhD em Educação Médica, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Madalena Patrício, que, no dia 9 de agosto, também participou da programação especial de lançamento do Centro de Medicina Baseada em Evidência da Bahiana.

O turno da tarde foi preenchido pela dinâmica do painel "A relação professor X aluno na contemporaneidade: desafios e caminhos", com a participação de: Maria Thereza Marcílio, consultora da ONG Avante e pedagoga com mestrado em Educação, pela Harvard Graduate School of Education, da Harvard Univercity – Cambridge Massachussets; José Raimundo de Jesus Santos, sociólogo com doutorado em Ciências Sociais, pela Universidade Federal da Bahia, e coordenador no programa de Pós-Graduação em Educação do Campo, no Centro de Formação de Professores da UFRB; e do professor do curso de Psicologia da Bahiana Fábio Giorgio Azevedo, mestre em Educação e também coordenador do Centro de Atenção às Juventudes (CAJU) e do programa de extensão Laboratório de Sensibilidade na Companhia Itinerante de Saúde Mental (CISMA).

“A importância do Fórum Pedagógico está em criar um momento de reflexão conjunta sobre a prática docente, buscando o aprimoramento do ser professor  e o valor do movimento na perspectiva da ação-reflexão-ação. No fórum, criamos oportunidades para os professores compartilharem conhecimentos e experiências, trazemos novas perspectivas sobre a educação em saúde e buscamos incluir a arte para nutrir a dimensão sensível do professor”, declarou a coordenadora do PROIDD.
 
Segundo dia: homenagens e comunicados
Um café da manhã congregou os participantes no segundo dia de evento, que contou com uma programação especial. Fora dos moldes ortodoxos, a abertura das atividades foi guiada pela Dra. Maria Luisa que é, também,  psicodramatista. Os participantes foram conduzidos por ela a uma submersa viagem ao fundo do mar, com o propósito de refletir os temas abordados durante o fórum.

Doutoramento Especial
Em mais uma ação inovadora e de valorização do corpo docente da Bahiana, foi implantado, há cerca de dois anos, o programa de doutoramento especial, que já homologou o título de doutorado a 38 professores da casa. O feito foi marcado por uma apresentação especial que destacou a iniciativa idealizada pela Dra. Maria Luisa com o apoio da coordenadora do programa de mestrado e doutorado em Medicina e Saúde Humana, Dr.ª Ana Marice Ladeia.

“Esse doutoramento especial foi um grande desafio, mas estamos chegando ao final dos 30 meses e foi um sucesso. Não foi um sucesso meu, nasceu na cabeça da Dra. Maria Luisa essa grande ideia e tive o apoio dos demais professores orientadores, que a compraram. Foi um sonho vivido por muitas pessoas”, ressaltou Ana Marice.

Borboleguim de Ouro
O tradicional Prêmio Borboleguim de Ouro, que homenageia docentes e colaboradores ligados à área acadêmica, por sua dedicação à formação dos estudantes da Bahiana, este ano, contemplou dois importantes nomes do quadro da instituição: o prof. Dr. Bernardo Galvão, coordenador do Centro de Atenção ao Portador de HTLV e Angélica Mendes, gestora no Núcleo de Atenção Psicopedagógica (NAPP).

Em suas falas de agradecimento, os agraciados relataram a sua experiência na Bahiana e homenagearam os 40 anos de dedicação da Dra. Maria Luisa. “Eu estou na Bahiana há cerca de 20 anos. Nesse período, tive a oportunidade de ver e vivenciar um progressivo crescimento institucional graças ao seu entusiasmo, criatividade, competência e liderança, como, por exemplo a sistemática atualização e modernização das grades curriculares dos cursos de graduação, a introdução da psicologia médica e as mudanças no processo seletivo, visando sempre à qualificação de seus docentes e a implantação do exitoso Doutorado Especial”, declarou Galvão, ressaltando a realização da 14ª edição do Fórum Pedagógico. “É importante destacar o papel que a nossa reitora vive na descentralização da gestão, permitindo o crescimento institucional e harmônico. E, mais importante ainda, ver que tudo foi feito com muita sensibilidade, empatia, austeridade, generosidade, honra e paixão. ”

Novas iniciativas
Também integraram a programação as apresentações de novos projetos da instituição. A importância de ações de impacto social dentro de uma instituição foi o tema da apresentação do economista e consultor da Endeavor Brasil, Marco Gorini.

O coordenador de Negócios de Impacto Social da Bahiana, André Soliani, apresentou os objetivos do novo núcleo que, segundo ele, se baseia nos pilares de sustentabilidade social, econômica e ecológica que também permeiam toda a instituição.  Entre as iniciativas de sustentabilidade econômica, ele citou a nova Clínica de Odontologia da Bahiana, que atende colaboradores por meio de orçamentos com valores especiais, sem comprometer o alto padrão de qualidade já ofertado pelos demais serviços de saúde da instituição.

Como iniciativa de sustentabilidade ecológica, André apresentou o programa Bahiana Verde, que tem como objetivo promover uma política ambiental para a Bahiana. “Estamos olhando para o que a Bahiana já faz em ecologia, a fim de envolver mais a comunidade e reduzir a perda ecológica da instituição”, explicou.

O braço institucional Bahiana Saúde foi apresentado por sua diretora técnica Mariana Soliani, que deixou claro que toda a área acadêmica da instituição – Bahiana Educação – é a força motriz dos serviços de saúde. Além de apresentar todos os serviços oferecidos pelos Centro Médico e Odontológico e pelas clínicas de Odontologia, Fisioterapia e Psicologia, Mariana destacou como benefício o desconto de 20% para colaboradores e familiares (pais, filhos e cônjuges).

Mesa-Redonda: “A internacionalização da educação”
Refletir sobre os conceitos e a importância da internacionalização no processo de formação acadêmica foi o objetivo principal da mesa-redonda que reuniu a reitora Maria Luisa Carvalho Soliani, a palestrante portuguesa prof.ª Madalena Patrício, a coordenadora do Núcleo de Relacionamento Institucional e Internacionalização da Bahiana (REAII), Maria Antonieta Araújo, e a médica e professora do curso de Medicina da Bahiana Iêda Aleluia, também integrante do Programa Institucional de Desenvolvimento Docente (PROIDD).

Em sua explanação, Madalena Patrício abordou os processos de internacionalização, bem como seus atuais desafios. A experiência da Bahiana e as parcerias com instituições de ensino de diversos países foram citadas por Antonieta, bem como a visita de pesquisadores e a mediação da participação de docentes e discentes em programas de outras universidades.

Dra. Maria Luisa chamou a atenção para o conceito ainda indefinido da internacionalização: "O que a gente chama de internacionalização? Porque não há um consenso. Cada um entende de um jeito. O que nós, como Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, entendemos? Na verdade, estamos construindo esse conceito e acho que devemos sempre nos perguntar para quem serve essa internacionalização, para o que e a quem servirá?". Segundo ela, o movimento da instituição responde a uma indução do Ministério da Educação e da CAPES, a partir do momento que a avaliação institucional passa a abranger também as ações de internacionalização. "Essa é uma política de governo que tem uma importância enorme no sentido de provocar justamente o que estamos fazendo aqui, agora, que é discutir esse assunto".

O XIV Fórum Pedagógico da Bahiana teve um encerramento especial com o pocket show “Canções Além-Mar”, da cantora Jussara Silveira. Acompanhada do músico Luciano Salvador Bahia, ela interpretou fados e canções portuguesas, além de composições de artistas baianos. O momento cultural ganhou ênfase com a apresentação da coreografia “Poseidon e as Nereidas”, interpretada pelos bailarinos do Balé do Teatro Castro Alves Alice Becker, Agnaldo Fonseca e Flexa II.

Para Sandra Brasil, “o fórum se constitui como um momento de congraçamento, de confraternização e de alegria compartilhada, o que fortalece os vínculos e estimula a busca do crescimento pessoal e profissional.  Todos esses elementos promovem uma crescente adesão de professores e um interesse de outras instituições de ensino superior em participar o que permite uma integração institucional e interinstitucional”.


Campus Brotas

Av. Dom João VI, nº 275, Brotas.
CEP: 40290-000
tel.: (71) 3276 8200
fax.: (71) 3276 8202

Campus Cabula

Rua Silveira Martins, nº 3386, Cabula
CEP: 41150-100
tel.: (71) 3257 8200
fax.: (71) 3257 8230

Coordenadoria Geral

Av. Dom João VI, nº 274, Brotas.
CEP: 40285-001
tel.: (71) 2101 1900
fax.: (71) 3356 1936